Saltar para os conteúdos

LIGAÇÕES ÚTEIS     MAPA DO SITE     facebook

DRAP ONLINE

Capturar45215623

Integrada nas comemorações do dia da europa, numa iniciativa promovida pela Gestão do MAR2020 em conjunto com as Direções Regionais de Agricultura e Pescas, ao longo desta semana, serão mostrados um projeto por cada região realizado com o apoio do Mar 2020.

Hoje encontramo-nos na região do Algarve!

Este projeto, levado a cabo por dois Engenheiros Eletrotécnicos, formados na Universidade do Algarve, onde a influência e proximidade do mar foram determinantes, para que encarassem o mar como uma oportunidade. A experiência doa antepassados da família, na produção de bivalves, contribuiu para a decisão de avançar com uma candidatura na área da moluscicultura, mais precisamente no cultivo de Ostra Portuguesa em parte da área de produção dos viveiros de que são titulares.

Enquadrando-se esta candidatura no ponto nº 3 do artigo 4º nas seguintes alíneas:

b) Prevê a diversificação da produção aquícola e das espécies cultivadas,

c) Prevê a modernização de unidades de produção aquícola ou estabelecimentos conexos, incluindo a melhoria das condições de trabalho e de segurança dos trabalhadores aquícolas e a construção e modernização de embarcações de apoio à atividade.

O percurso iniciou-se com “formação em exercício” em viveiros na Ria Formosa, passando pelas diferentes fases do processo de produção, desde a colocação das sementes à calibração e comercialização. Terminou reiniciando-se em viveiro próprio, com cerca de 10.777m2, na Torre D’Aires (Tavira).

O investimento de 75 mil euros, serviu para a aquisição de mesas, sacos para ostra, motobomba, veículo anfíbio, e viatura de transporte climatizada destinada à comercialização.

O objetivo é promover o aumento da competitividade e da viabilidade da sua atividade incluindo também a melhoria das condições de trabalho e modernização das operações.

Este investimento resulta num balanço positivo que valida a aposta feita e estimula a continuação na produção de OSTRAS DA TORRE. 

A Ostras da Torre está integrada num habitat de excelência, a Ria Formosa, património protegido, originando um produto também ele de excelência.

Desde a seleção das sementes, o transporte e a cultura, é garantida uma ostra de Qualidade Excecional.

Na Ostras da Torre procuram produzir ostras de primeira qualidade a todos os níveis, desde formação da concha ao sabor único.

Antes da comercialização, a ostra é submetida a um processo de depuração, em entidade creditada e identificada para o efeito. Pretendendo ser uma referência nacional na aquacultura.